Ótica Perfil

Citado em lista divulgada por Jornal de São Paulo, senador Eduardo Amorim emite nota

Delações | 12.04.2017 às 10:20h

Logo após ter seu nome citado no jornal "O Estado de São Paulo" em uma lista do ministro do Supremo Tribunal Federal Luís Fachin, enviada pelo procurador da República Rodrigo Janot, pedido abertura de inquérito com base nas delações dos executivos da empreiteira Odebrecht.

Leia a nota emitida pelo senador

Senador Eduardo Amorim (PSDB/SE)

"O meu nome foi citado na "Lista de Fachin" junto ao da senadora Maria do Carmo (DEM/SE) e que o então prefeito João Alves (DEM/SE) teria solicitado R$ 600 mil para as duas campanhas em 2014. Gostaria de esclarecer que NÃO AUTORIZEI ninguém a pedir valores para a campanha em meu nome, NUNCA tive qualquer contato e NÃO CONHEÇO os empresários Fernando Luiz Ayres da Cunha Reis e Alexandre José Lopes Barradas - delatores da Lava Jato.

NUNCA e em tempo ALGUM pedi nada a Odebrecht e, repito, NÃO AUTORIZEI ninguém a solicitar dinheiro e muito menos tive conhecimento disso. A minha campanha NÃO UTILIZOU recursos de caixa dois. E isso fica comprovado, inclusive, na denúncia divulgada, onde meu nome NÃO aparece como requerente, NEM recebedor destes recursos.

Quem solicitou valores aos empresários para uso em caixa dois, que explique e responda pelos seus atos. TODAS as doações da minha campanha foram oficiais, declaradas e encontram-se à disposição no site do TSE. No mais, estou à disposição da Justiça para possíveis esclarecimentos".

Senador Eduardo Amorim

 

Da redação:
Mais Política
Comentários
Gilson de Oliveira - mais notícias
2007 - 2017 Gilson de Oliveira, mais notícia
Desenvolvido por Anderson Silva