Sábado, 10 de dezembro de 2016
Itabaiana-SE, Mín: 24ºC | Máx: 30ºC

Eleições 2010: O futuro é agora

JOVEM ELEITOR | 14.09.2010 às 07:53h
No futuro não muito distante, um jovem ao completar 16 anos tirou seu título de eleitor, para votar pela primeira vez, mas antes que isto acontecesse, ele resolveu estudar sobre o processo eleitoral de algumas décadas atrás; então começou a pesquisar e a perguntar aos mais velhos como se comportavam os políticos e eleitores num dos momentos mais importantes de suas vidas como cidadão; a escolha daqueles que o representaria no poder executivo e legislativo.
          Com o estudo, ficou perplexo e indignado com as atitudes de alguns eleitores que vendiam ou trocavam o voto por dinheiro, materiais de construção ou alimentos ao político corrupto; votavam em branco ou nulo perdendo o direito de escolher bons políticos; não gostavam de ouvir, falar e participar dos acontecimentos políticos, não sabendo ele que sua ignorância política só favorecia ao político corrupto; votavam no político profissional que há muito tempo estava no poder e quase nada fazia de concreto para o povo; elegia político de promessas que só lembrava do povo na época das eleições e os enganavam depois de eleito; não procuravam conhecer as propostas dos políticos para os interesses ao bem comum da população; deixavam ser enganados por cabos eleitorais ou propagandas enganosas a serviço de políticos sem escrúpulos; reclamavam dos políticos, mas na hora de votar não tinham coragem, determinação e cidadania para mudar e tirar os maus políticos da vida pública; achavam que era só votar e pronto, cumpriu com o dever e o direito de cidadão, não acompanhando as ações do seu candidato quando estivesse eleito; votavam na reeleição de políticos que não trabalhavam para o desenvolvimento da comunidade e bem estar de todos os cidadãos.
          O jovem também encontrou relatos do político ideal, aquele que tinha proposta política viável, defendendo a vida, os direitos humanos e a luta pelo bem comum de todos; e do eleitor consciente, que valorizava o voto pensando, questionando e refletindo sobre a importância de sua decisão como cidadão.
          Depois de muito pesquisar, o jovem concluiu que o eleitor precisa analisar e refletir melhor sobre o passado e o presente dos políticos e a importância do voto dele como cidadão consciente, porque se votar errado terá que esperar mais quatro anos para tomar a decisão certa.
          Acredite no futuro, o futuro é agora, com consciência e cidadania na hora de escolher os futuros governantes.


A utilização deste e outros artigos deve respeitar a Lei dos Direitos Autorais. Sua veiculação está previamente autorizada desde que as informações autorais sejam citadas.
Da redação:
Mais Política
Comentários
Gilson de Oliveira - mais notícias
2007 - 2016 Gilson de Oliveira, mais notícia
Desenvolvido por Anderson Silva