Ótica Perfil

Polícia recaptura fugitivo da justiça condenado pela morte de músico itabaianense

POLÍCIA | 12.02.2009 às 07:28h
Foragido da justiça sergipana há quase oito anos, Eduardo Santos Menezes, vulgo Eduardo Seresteiro, foi recapturado na cidade de Crato no Estado do Ceará. 
A prisão de Eduardo ocorreu no dia 06 de janeiro em um trabalho de parceria da Polícia Interestadual de Sergipe (Polinter) e o Departamento de Inteligência Policial do Ceará (Dipe). Ele havia fugido da antiga Casa de Detenção de Aracaju há aproximadamente oito anos.
Eduardo Seresteiro foi condenado a 26 anos de reclusão por ter tramado a morte do músico Ivan Andrade ocorrida em 1995. O caso foi repercutido no antigo programa "Linha Direta" da Rede Globo.

Segundo informações da delegada Nalile Bispo de Castro, estava trabalhando no interior do Ceará se apresentando em bares e alugando equipamentos de som. A polícia já investigava o forarigido desde novembro do ano passado. Sua transferência para o Estado de Sergipe ocorreu nesta quarta-feira, dia 11.
Eduardo Seresteiro planejou a morte de Ivan Andrade, atraindo o mesmo para uma falsa apresentação musical na cidade de Frei Paulo. Para executar o plano ele contratou Ricardo Nunes da Silva, o Cacau, que seguiu junto com a vítima, o técnico de som Monilton Vital Nunes e o professor Eugênio, que conseguiu escapar da trama.

De posse de um revólver calibre 38, Cacau simulou um assalto e em seguido atirou no músico e também no técnico de som que tentou defender o amigo. 
O fato se deu às margens da BR-235 e antes de ser jogado num barranco, o corpo de Ivan Andrade foi exibido ao mandante, como prova do planejado. Além disso, Eduardo Seresteiro também ficou de posse do aparelho de som pertencente a Ivan.
Ricardo Nunes da Silva, conhecido pela alcunha de Cacau, atualmente cumpre pena em regime semi-aberto.
Da redação:
Mais Notícias
Comentários
Gilson de Oliveira - mais notícias
2007 - 2018 Gilson de Oliveira, mais notícia
Desenvolvido por Anderson Silva