Ótica Perfil

Em clima de comoção, Pedrinho Valadares foi sepultado neste domingo em Aracaju

ÚLTIMO ADEUS | 17.08.2014 às 19:23h

Enterro 

(Foto: Daniel Nascimento/Portal A8)

 

O sepultamento do ex-deputado federal Pedrinho Valadares aconteceu às 16 horas deste domingo (17), na Colina da Saudade. Centenas de pessoas compareceram ao velório, que teve início por volta das 3:30 horas da madrugada, quando seu corpo chegou ao cemitério, trazido pelo Corpo de Bombeiros e coberto pela bandeira do Brasil.


A viúva Simone Valadares e os filhos estavam muito comovidos e ficaram todo o tempo abraçados ao redor do caixão. Durante o sepultamento ela foi amparada por familiares e amigos. A mãe de Pedrinho Valadares, Laura Valadares, também estava inconsolável. Antes do sepultamento foi celebrada missa de corpo presente.


O irmão de Pedrinho, Antônio Valadares Santana, disse que o acidente que provocou sua morte, de forma trágica, chocou toda a família: "ninguém nesse mundo está preparado para receber uma notícia dessas. Sofremos por ele que se foi ainda tão jovem, cheio de projetos e sonhos".


O empresário Luciano Barreto também lamentou a perda do amigo. "Convivo com Pedrinho desde o primeiro mandato dele como deputado federal. Conversávamos muito sobre os rumos políticos do nosso país".


Segundo Luciano, "ele era uma pessoa brilhante, tinha uma alegria contagiante, não me lembro de ter visto ele triste alguma vez. Sempre preocupado com os interesses de Sergipe, que perde muito com a sua partida. O Brasil também perde muito, pois ele e Eduardo tinham muitas ideias e projetos. Mas, seu legado, sua sergipanidade não serão esquecidos por seus familiares e amigos", destacou.


Para o vice-prefeito de Aracaju, José Carlos Machado, é muito difícil avaliar a perda de Pedrinho. "Ela é irreparável, difícil de ser medida ou avaliada. Ele ainda muito jovem demonstrava sua preocupação com as coisas de Sergipe, em beneficiar o estado através de sua atuação na Câmara Federal, onde convivemos por quase seis meses".


Chegada a Aracaju - Chovia na madrugada deste domingo (17) quando o Hercules da FAB aterrissou em Aracaju, por voltas das 01:30 hora, trazendo o corpo do ex-deputado Pedrinho Valadares, morto em acidente aéreo ocorrido na manhã de quarta-feira (13), na cidade de Santos, em São Paulo, onde também morreu o candidato a presidente da República pelo PSB, Eduardo Campos.


A família recebeu o corpo em um caixão lacrado pelo IML de São Paulo muito comovida. A mulher, os filhos, parentes e amigos vestiam uma camisa branca com a foto de Pedrinho, com a frase: "Sergipe chora a perda de um grande defensor de nossa gente e de nossa terra".


O aeroporto estava lotado de amigos do ex-deputado, entre eles políticos como o prefeito João Alves Filho (DEM), o candidato a governador pelo PSC Eduardo Amorim, e o deputado federal Valadares Filho (PSB), seu primo que acompanhou o reconhecimento do corpo no IML de São Paulo desde quarta-feira à tarde.


Um susto - Na descida do Hercules da FAB um pequeno susto: o mau tempo fez com que o avião arremetesse ao tentar o primeiro pouso, mas na segunda tentativa aterrissou com tranquilidade. O caixão, com a bandeira brasileira cobrindo-o, foi colocado em um carro do Corpo de Bombeiro e passou por várias ruas de Aracaju, acompanhado por dezenas de veículos. Poucas pessoas o viram passar em razão do horário. O corpo foi trazido até a Colina da Saudade, aonde chegou por volta das 03 horas da madrugada. Lá, muita gente já o esperava.


Colocado ao meio da sala, onde foi velado até às 16 horas deste domingo, só familiares mais próximos - mãe, mulher, filhos, irmãos etc - abraçaram-se ao redor do caixão e rezaram durante uma hora aproximadamente. Todos choravam comovidos, em um clima de muita tristeza.


Detalhes - Segunda-feira (11), Pedrinho Valadares passou seu último dia em Aracaju. Teve demorada conversa com o senador Eduardo Amorim e com o candidato a vice-governador Augusto Franco Neto.


Do local da reunião ele telefonou para alguns amigos, entre ele para um chamado Theófilo, a quem pediu voto para Eduardo Amorim para governador, André Moura para deputado federal e Reinaldo Moura para estadual. Todos do PSC. Theófilo disse ontem na Colina da Saudade jamais deixaria de atender a um pedido de Pedrinho, ao qual tinha uma relação de amizade muito forte.


Na quarta-feira (13) pela manhã, Pedrinho Valadares viu o seu whatsapp às 9:21 horas, segundo revelou Theófilo: "não lhe enviei um whatsapp porque imaginei que ele estava voando", disse. O acidente com o avião que conduzia o ex-deputado aconteceu exatamente às 9:59 horas, a exatos 38 segundos depois dele ter visto o whatsapp.


Na realidade, às 9:21 horas, Pedro Valadares fez uma ligação para o radialista Diego Gonzaga e ele não atendeu, passou-lhe um whatsapp, pedindo que Diego desse uma verificada junto à sede do PSB, para ver como estava sendo distribuída a publicidade do candidato a presidente da República, Eduardo Campo, que morreu com ele no mesmo acidente.


FONTE: Faxaju

Da redação:
Mais Notícias
Comentários
Gilson de Oliveira - mais notícias
2007 - 2017 Gilson de Oliveira, mais notícia
Desenvolvido por Anderson Silva