Ótica Perfil

Na luta contra o câncer, morre na capital paulista o Governador de Sergipe, Marcelo Déda

ADEUS | 02.12.2013 às 08:23h

morte

 

Por volta das 4h45 da madrugada desta segunda-feira, dia 02, o Hospital Sírio-Libanês, em São Paulo, anunciou a morte do Governador de Sergipe Marcelo Déda (PT), com falência múltipla dos órgãos depois da luta de vários meses contra um câncer gastrointestinal. O governador foi internado no hospital da capital paulista, no dia 27 de maio, com dificuldades para se alimentar.

 

 

 

Natural do município de Simão Dias, Marcelo Déda Chagas deixa cinco filhos de dois relacionamentos, sendo dois homens do segundo casamento e três mulheres da primeira união.

 

 

Advogado formado pela Universidade Federal de Sergipe (UFS), Déda entrou para a política na década de 70. Militante do Partido dos Trabalhadores (PT) desde 1980, Marcelo Déda estava no segundo mandato como Governador do Estado de Sergipe.

 



Carreira

 

 

Deda

 

Em 1982, na primeira eleição do PT, Déda é lançado candidato a deputado estadual. Estava com 22 anos e obteve apenas 300 votos.


 

Foi eleito, em 1986, deputado estadual com a maior votação de sua legislatura. Seus mais de trinta mil votos foram tão significativos, que elegeram, também, outro correligionário, o médico Marcelo Ribeiro, que teve pouco mais de mil votos.


 

Disputou, em 1990, a reeleição para a assembleia, mas foi derrotado obtendo pouco mais de 10% da votação anterior. Quatro anos depois em 1994, candidatou-se à Câmara Federal, sendo eleito deputado federal com a maior votação do estado.


 

Representou Sergipe, chegando à liderança do Partido dos Trabalhadores. Na seqüência, em 1998, foi reeleito deputado federal, mas renunciou para assumir a prefeitura da capital sergipana.


 

Prefeito de Aracaju


 

Em 1985, acontecem as eleições para prefeito em Aracaju após a redemocratização e o atual governador saiu candidato. A campanha decolou e Marcelo Déda conquistou o segundo lugar nas urnas com aproximadamente 19 mil votos, perdendo para Jackson Barreto do PMDB.


 

Tentando obter o sucesso da eleição de 1986, em que fora eleito deputado estadual, lança-se novamente em 1988 como candidato à Prefeitura de Aracaju, mas termina em terceiro lugar, atrás de Wellington Paixão do PSB e Lauro Maia do PFL, respectivamente primeiro e segundo colocado.


 

Em 26 de maio de 2000, Marcelo Déda, na época um dos mais atuantes deputados federais do Brasil, ingressa no processo eleitoral como candidato a prefeito de Aracaju, sendo um dos últimos colocados nas pesquisas. Durante os três meses de campanha, Déda começou a colecionar saltos nas pesquisas, ganhando a eleição ainda no primeiro turno, com 52,80% dos votos válidos, ao lado do então vice-prefeito Edvaldo Nogueira.


 

Em 2004, Déda foi reeleito prefeito de Aracaju com 71,38% dos votos válidos.

 

 

Governador de Sergipe

 

 

 

Em dia 31 de março de 2006, Déda renunciou ao mandato de prefeito de Aracaju para encarar a disputa pelo governo do Estado. Em vitória histórica, que simbolizou uma mudança no cenário político sergipano, Marcelo Déda é eleito governador com 52,48% dos votos, ao lado do vice-governador Belivaldo Chagas, também simãodiense. Déda foi eleito vencendo João Alves Filho ainda no primeiro turno.


 

Em 2010, Déda venceu João Alves Filho novamente no primeiro turno, com 52% dos votos válidos, vencendo a reeleição no dia 3 de outubro, ao lado do vice Jackson Barreto.

 

 

AVISO:
BASEADO NA LEI DOS "DIREITOS AUTORAIS" É EXPRESSAMENTE PROÍBIDA A REPRODUÇÃO TOTAL OU PARCIAL DESTE E OUTROS ARTIGOS SEM OS DEVIDOS CRÉDITOS DO SEU AUTOR.

 

 

 

 



 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Da redação:
Mais Notícias
Comentários
Gilson de Oliveira - mais notícias
2007 - 2017 Gilson de Oliveira, mais notícia
Desenvolvido por Anderson Silva