Ótica Perfil

JULGAMENTO: Acusados pela morte de comerciante de Malhador são condenados em Júri Popular

CONDENAÇÃO | 12.07.2012 às 21:57h

 

O Tribunal do Júri da 1.ª Vara Criminal da Comarca de Itabaiana (SE), esteve reunido nesta quinta-feira, dia 12, para julgar Maria Sônia de Melo, 36 anos, e Ronaldo Mota dos Santos, 28 anos, acusados pela morte da comerciante Jaqueline Souza Mecena da cidade de Malhador (SE).

O crime aconteceu no dia 22 de março de 2010, em uma estrada de acesso ao povoado Pé do Veado, em Itabaiana (SE).

O julgamento aconteceu no Fórum Maurício Graccho Cardoso e foi presidido pelo Juiz Dr.º Paulo Teles Barreto.

Por terem sidos considerados culpados os réus, Maria Sônia de Melo, autora inletectual do homicídio, e Ronaldo Mota dos Santos, executor do crime, foram sentenciados pelo júri, respectivamente, a 18 anos e seis meses e 16 anos e seis meses de prisão, ambos em regime fechado.

A decisão do júri, formado por quatro homens e três mulheres, quando foi anunciada pelo juízo já passava das 20 horas.  

Familiares, amigos e diversos profissionais da imprensa de Itabaiana e do Estado da vítima acompanharam o julgamente por todo o dia.

O crime

A comerciante foi morta por conta de uma dívida no valor de R$ 3.700,00 (Três mil e setecentos Reais), que Maria Sônia tinha com Jaqueline e mesma quantia que Ronaldo devia a Maria Sônia, segundo declarações dos acusados à polícia.

Por isso, os dois combinaram de atrair Jaqueline com a promessa de quitar o débito. Após arquitetar o crime, Maria Sônia foi à casa de Jaqueline e as duas saíram de Malhador, no carro da vítima, um veículo Corolla, de cor azul, com destino à Itabaiana.

Depois de matarem a comerciante, Maria Sônia se dirigiu a um supermercado da cidade para fazer compras, enquanto Ronaldo Mota sumiu com o carro da vítima.

Maria Sônia de Melo foi detida na mesma noite do crime e Ronaldo Mota dos Santos foi preso na manhã do dia 23 no bairro Riacho Doce. Já o veículo da vítima foi encontrado queimado na manhã do dia 24, no município de Carira (SE).

AVISO:
Baseado na lei dos "Direitos Autorais", é expressamente proíbida a reprodução deste e outros artigos sem os devidos créditos do seu autor.
Da redação:
Mais Notícias
Comentários
Gilson de Oliveira - mais notícias
2007 - 2017 Gilson de Oliveira, mais notícia
Desenvolvido por Anderson Silva