Ótica Perfil

Dois policiais processados na Operação Passadiço são condenados

MPF/SE | 19.10.2011 às 21:20h

Por Catarina Cristo da Assessoria de Comunicação do Ministério Público Federal em Sergipe

As denúncias da Operação Passadiço, que desmembrou uma rede de corrupção da Polícia Rodoviária Federal (PRF) em 2008, resultaram na condenação de mais policiais pela Justiça Federal. M.C.M.C e E.U.A.J. foram condenados por atos de improbidade administrativa no exercício da função.

No âmbito civil, os dois foram condenados à perda dos cargos na Polícia Rodoviária Federal, à perda dos direitos políticos por quatro anos e ao pagamento de multa civil de 40 vezes o valor da sua última remuneração recebida na PRF. Os policiais já haviam sido condenados em ações criminais também resultantes das investigações da Operação Passadiço.

De acordo com a sentença do juiz federal Marcos Antônio Garapa de Carvalho, os réus também estão proibidos de contratar com o poder público e de receber benefícios ou incentivos fiscais ou de crédito por três anos. M.C.M.C. recorreu da decisão.

Relembre - Em junho de 2008, a Operação Passadiço foi realizada em conjunto entre o MPF/SE, a Polícia Federal e a própria PRF e chegou a prender 19 pessoas. Todas foram acusadas de envolvimento em uma rede de corrupção que atuava nos postos de fiscalização em Malhada dos Bois e Cristinápolis. No esquema, policiais liberavam veículos irregulares mediante pagamento de propinas.

A denúncia apresentada pelo MPF contra 14 policiais envolvidos no esquema apontou diversas conversas dos réus com outras pessoas e até mesmo outros policiais rodoviários federais que provam os diversos crimes cometidos por eles. Todas essas escutas foram feitas com autorização judicial.

Os números dos processos são 0000212-98.2010.4.05.8502 e 0000202-54.2010.4.05.8502

 

Da redação:
Mais Notícias
Comentários
Gilson de Oliveira - mais notícias
2007 - 2018 Gilson de Oliveira, mais notícia
Desenvolvido por Anderson Silva