Ótica Perfil

Mulher é agredida com facão por cunhado em povoado de Itabaiana

Agressão | 31.07.2010 às 16:48h

   
(Fotos: Portal Infonet)

Foram três golpes de facão na cabeça e dois golpes no braço direito. Foi por pouco, mas Maria Valneide dos Santos, 40 anos, sobreviveu às agressões sofridas no povoado Cabeça do Russo, na cidade de Itabaiana, na última segunda-feira. O acusado é o seu cunhado, José Arnaldo de Jesus, mais conhecido como “Carlinhos”.

“Eu fui de moto com meu marido e meu filho de sete anos colocar comida para os animais que agente cria, em um terreno lá no povoado. De repente recebi uma pedrada na cabeça e caí no chão. Quando tentei levantar, a mulher do meu cunhado me puxou pelo pescoço e ele acertou o facão no meu braço”, relata a agricultora.

Maria Valneide ainda conta que acabou desmaiando após receber os golpes na cabeça. “Na hora da confusão eu até acertei uns murros na mulher dele, mas quando comecei a receber os golpes minha vista ficou escura e não lembro de mais nada”, diz.

Segundo a agricultora, no momento da confusão o marido tentou pegar uma foice para socorrer a esposa. “Meu marido correu na hora para pegar a foice, só que na confusão ele viu meu filho desmaiado e pensou que ele tinha sido atingido. Nisso pegou ele nos braços para acudir”, relata.
Maria Valneide ainda explicou que depois que ela perdeu os sentidos e o cunhado e a esposa fugiram do local. “Meu marido foi pedir ajuda e alguém me levou para o hospital”, revela.

Estupro

Maria Valneide ainda acusa o cunhado e mais três homens, dois eles irmãos, identificados como “Miltinho de Boquim” e “Valdez”, como autores de um estupro sofrido por ela há quatro anos. “Eles me bateram e me estupraram durante horas, depois enfiaram um pedaço de pau em mim e me largaram no meio do mato”, revela Valneide.

A agricultora explicou que as agressões começaram após a vítima ter denunciado os homens como autores de um furto. “Tudo começou quando um deles pegou a bicicleta do meu filho, desmontou e começou a vender as peças. Eu procurei a delegacia e ele acabou preso, mas passou apenas três dias. Estou com muito medo agora e preciso de ajuda, pelo amor de Deus”, clama em meio às lágrimas.

Ainda segundo a agricultora, um dos homens já tinha passagem pela polícia por outros crimes de violência contra mulher. “O tal do Valdez já tinha sido preso por tentar matar uma mulher a tiros”, acrescenta.

Delegacia

De acordo com informações da Delegacia Regional de Itabaiana, todos os envolvidos no crime que aconteceu na segunda-feira já foram ouvidos e que o delegado irá instaurar o inquérito. Ainda de acordo com as informações, em depoimento José Arnaldo, cunhado da vítima, alega que agiu em legítima defesa após Maria Valneide ter tentado agredi-lo com um pedaço de madeira.

Por Kátia Susanna e Alcione Martins, do Portal Infonet

Da redação:
Mais Notícias
Comentários
Gilson de Oliveira - mais notícias
2007 - 2018 Gilson de Oliveira, mais notícia
Desenvolvido por Anderson Silva