Ótica Perfil

Polícia Federal apresenta detalhes da Operação Estrada Livre desencadeada em Sergipe, Bahia, Minas Gerais e Goiás

Roubo de Pneus | 28.02.2018 às 15:26h

A quadrilha alvo da operação "Estrada Livre", deflagrada na manhã de terça-feira (27), nos estados da Bahia, Minas Gerais, Sergipe e Goiás, lucrou só no estado baiano aproximadamente R$ 9 milhões, durante três anos de roubos. A informação foi divulgada pela Polícia Federal, durante coletiva realizada na sede do órgão, em Salvador, no período da tarde do mesmo dia.

"Um pneu custa cerca R$ 2 mil, e quando eles tiram 36 pneus em uma ação, eles conseguem ter R$ 76 mil", detalhou o delegado regional de Investigação e Combate ao Crime Organizado da Polícia Federal, Fernando Berbert.

A coletiva também contou com a participação da Polícia Rodoviária Federal. De acordo com o Superintendente Regional da PRF na Bahia, inspetor Virgílio de Paula Tourinho, desde 2015 eles perceberam a atuação da quadrilha nas rodovias federais da Bahia e resolveram comunicar o caso à PF. No período de três anos, foram registrados 180 roubos de pneus a veículos de carga na Bahia.

Foto: Divulgação / PRF

"A gente identificou essa modalidade em 2015. Começamos a fazer levantamentos em 2017, conversamos com PF e assim iniciamos essa ação conjunta. Em 2015 foram registradas 56 ocorrências, em 2016, 62 ocorrências e em 2017, outras 62. Sendo que essa quadrilha atuava no nordeste, sudoeste e centro-oeste do país", explicou Tourinho.

Durante as ações criminosas, os motoristas dos veículos de carga eram levados, juntamente com o veículo, para uma estrada vicinal, onde os pneus e rodas eram retirados dos veículos, e transportados para outro caminhão da quadrilha. Após o roubo, o grupo fugia do local, deixando a vítima imobilizada.

"Eles agiam com violência, amordaçando motoristas, roubavam todos os pertences das vítimas, além dos pneus", relatou o delegado Fernando Berbert.

Durante a operação, 11 pessoas foram presas, três delas por receptação dos pneus. Outras duas prisões ocorreram em Feira de Santana (BA), cidade a cerca de 100 km de Salvador; uma em Cabeceiras do Paraguaçu (BA), no recôncavo baiano; cinco em Araxá (MG); duas em Itabaiana (SE) e uma em Aracaju (SE).

De acordo com a PF, mais quatro pessoas foram presas em Itabaiana, pois tentaram auxiliar na fuga dos procurados pela polícia. Eles foram encaminhados para a sede da Polícia Federal em Aracaju, foram ouvidos e liberados.

Com relação às prisões na Bahia, a polícia esclareceu que as de Feira de Santana foram de suspeitos de integrar a quadrilha. Já em Cabaceiras do Paraguassu, a pessoa presa foi apontada por receptação, pois recebia os pneus roubados pela quadrilha e vendia em uma borracharia na estrada da cidade.

Durante a operação, 68 pneus foram recuperados. A PF disse ainda que apesar da ação desta terça-feira, a operação segue em andamento, com equipes na rua, pois é possível haver mais prisões.

Os envolvidos, de acordo com a PF, devem responder pelos crimes de associação criminosa, roubo qualificado e receptação. Se somadas, as penas poderão chegar até 22 anos de reclusão.

Da redação: Por G1 BA
Contatos: e-mail: gilsondeoliveira@gilsondeoliveira.com.br
WhatsApp: (079) 9-9660-2561 (Esse número não recebe chamadas)
*Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

 

comentários

WhatsApp: (79) 99977.1266
Email: gilsondeoliveira@gilsondeoliveira.com.br
Gilson de Oliveira - mais notícias
2007 - 2020 Gilson de Oliveira, mais notícia
Desenvolvido por Anderson Silva