Ótica Perfil

Engenheiro, alvo de investigação da PF, possui empresa de fachada no Centro da cidade de Itabaiana

Agreste sergipano | 22.11.2017 às 05:00h

Adriano Correia, engenheiro da Petrobras, foi conduzido coercitivamente para prestar depoimento na PF. A empresa dele, Queiroz Correia e Companhia Ltda é suspeita operacionalizar o recebimento de parte dos R$ 7 milhões em propina por outra empresa de engenharia, entre setembro de 2009 e março de 2014.

A Queiroz Correia que funciona na Rua Barão do Rio Branco, nº. 226, Centro, Itabaiana (SE), está inscrita no Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica sob o n.º 14. 512.821/0001-11, é apontada como empresa de fachada. A Queiroz Correia funciona no papel com múltiplas atividades e os telefones indicados na Receita Federal não atendem.

Entre as inúmeras atividades constam: 1) Obras de fundações, instalação e manutenção elétrica - 2) instalação hidráulica, sanitária e de gás - 3) Serviço de tratamento e revestimento em metais - 4) Serviço de transporte de passageiros - 5) Locação de automóveis com motorista - 6) Locação de automóvel sem condutor - 7) Perfurações e sondagens - 8) Treinamento em desenvolvimento profissional e gerencial - 9) Instalação de máquinas e equipamentos industriais - 10) Aluguéis de máquinas e equipamentos para construção sem operador, exceto andaimes, - 11) Recuperação e manutenção de equipamentos eletroeletrônicos de uso pessoal e doméstico - 12) Manutenção e reparação de máquinas e equipamentos para uso geral não especificado anteriormente -13) Serviço de pintura em edifícios em geral - 14) Atividades de limpeza não especificada anteriormente - 15) Atividades paisagísticas - 16) Serviço de engenharia - 17) Aluguel de outras máquinas e equipamentos comerciais e industriais não especificada anteriormente, sem operador - 18) Outras obras de acabamento de construção - 19) Obras de alvenaria - 20) Limpeza em prédios e domicílios.

Na sede da Superintendência da PF, em Aracaju, o empresário foi interrogado pela delegada federal, Mônica Horta. Depois de prestar depoimento à Polícia Federal, o empresário citado na Operação Lava Jato foi colocado em liberdade.

Da redação: Matéria Reproduzida do Cinform
Contatos: e-mail: gilsondeoliveira@gilsondeoliveira.com.br
WhatsApp: (079) 9-9660-2561 (Não recebe chamadas)
*Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

 

comentários

WhatsApp: (79) 99977.1266
Email: gilsondeoliveira@gilsondeoliveira.com.br
Gilson de Oliveira - mais notícias
2007 - 2019 Gilson de Oliveira, mais notícia
Desenvolvido por Anderson Silva