Ótica Perfil

Indignado, cidadão de Nossa Senhora das Dores escreve artigo sobre a tragédia que atingiu alunos de escola infantil do município

Dor e Comoção | 08.11.2017 às 05:01h

"Uma Caixa D'água fez uma cidade chorar"

Era uma tarde de sol. Reforço escolar para os pequeninos de uma povoação interiorana. Sede de aprender. Sede de viver. E a caixa d'água que servia para matar a sede, sem a devida vistoria, em dia, tombou.

Era como se aquele equipamento do saneamento básico estivesse com raiva de ter como vizinha uma escola, uma unidade onde se ensina e se aprende. Onde se tenta dar novo fôlego à vida dos pequeninos da pequena e pobre povoação. Pobre em cuidados públicos, mas rica em dignidade e vida.

A estrutura metálica enferrujada não aguentou o peso da água, o peso de anos a fio sem a devida manutenção. Simplesmente, tombou. Para ceifar duas vidas e para causar danos a muitas outras.

A água desperdiçada misturou-se às lágrimas das famílias dos pequenos mortos - um menino e uma menina -, que eram como pequeninas sementes que tentavam germinar para a vida, para, um dia, conquistar a liberdade de seguir em frente, de lutar para alcançar, metaforicamente, os raios do sol.

Era uma tarde de sol. Duas vidas ceifadas. Duas alminhas a caminho do céu tão precocemente. Duas famílias em dor. Um povoado atônito, também em lágrimas. Uma cidade em luto. A minha cidade. A minha gente.

Não há mais o que dizer. Palavras não dizem o que sentimos neste momento. Somos uma comunidade unida na dor e na esperança. Na indignação e na espera da responsabilidade de quem a deve ter.

Era uma tarde de sol. E os raios de sol quedaram-se e empalideceram diante de dois corpinhos sem vida. Dois irmãozinhos nossos se foram. E aqui ficamos nós, unidos à dor de seus familiares, vertendo dos nossos olhos lágrimas flamejantes.

A água, que é símbolo da vida, naquela tarde de sol trouxe a morte. Uma tragédia anunciada. Tardias serão as providências. Como quase sempre. E isto dói muito.

Campo Grande, Nossa Senhora das Dores, Sergipe, Nordeste, Brasil. Meu Deus, como tudo isso é triste! Será que isso pesará em algumas consciências?

Da redação: Por José Lima Santana
Contatos: e-mail: gilsondeoliveira@gilsondeoliveira.com.br
WhatsApp: (079) 9-9660-2561 (Não recebe chamadas)
*Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

 

comentários

WhatsApp: (79) 99977.1266
Email: gilsondeoliveira@gilsondeoliveira.com.br
Gilson de Oliveira - mais notícias
2007 - 2019 Gilson de Oliveira, mais notícia
Desenvolvido por Anderson Silva